Ser Miss é ser assim...

" Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das ideias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes... tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem eu não sou.
Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente.
Não sei amar pela metade.
Não sei viver de mentira.
Não sei voar de pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre."

Clarice Lispector

29.8.13

Miss Colunista: Primeira viagem de avião com bebê

É com grande alegria que compartilho  uma experiência muito carinhosa que uma linda Miss me mandou... a primeira viagem que fez com o filho de avião!
Nós, mãe, somos mesmo seres de outro mundo.... achei que só eu tirava foto de tudo, ficava imaginado as coisas ansiosa e tudo mais, confesso que as vezes me acho anormal, mas, lendo e vendo outras mamães respiro aliviada!
Angélica, obrigada por compartilhar um momento tão especial conosco! Amei e quero experimentar logo!

Em terras brasileiras, 15 de agosto de 2013.

Olá Miss Florinda,
Hoje foi a nossa 1ª viagem de avião. Aproveitamos uma promoção feita pela Companhia Aérea Azul e o feriadão prolongado dedicado a Nossa Senhora da Abadia, na nossa querida terrinha Uberaba- MG, para viver essa grande aventura.
Estava ansiosa, cheia de expectativa, apesar de ser um voo considerado doméstico, de aproximadamente uma hora.
Mas preciso te contar que os dias que antecederam esse grande dia, foram de muita tensão. Começando pela compra da passagem, para escolha do assento... Frente, asa ou fundão? Escolhemos asa, poltrona 10 (número associado a coisas boas, aprovação, nota 10!). Ah! Uma poltrona mesmo, porque Miguel ainda é um bebê e viaja no colo, de graça.
Depois, a arrumação da mala. Para esse tipo de viagem, poderíamos levar apenas uma bagagem com 23 kg!!! Como??? Como levar tudo o que eu queria e tudo o que era necessário para meu filho de 1 ano e 8 meses? Como decidir sobre as minhas coisinhas de mulher e todas as coisas que uma criança precisa? A saída foi planejar nossos looks, combinar peças, cores e acessórios, escolher itens coringas... Pronto! Estava tudo ali, bem arrumadinho.
Identificamos a mala com uma tag (imprescindível) e alguns apetrechos, fechamos com um cadeado e providenciamos uma mochila com uma troca de roupa para cada, joias, alguns brinquedinhos para distrair o pequeno, fraldas descartáveis, lencinhos umedecidos, pomadas e um medicamento para dor ou febre. E lógico, minha bolsa com nossos documentos e outras coisinhas mais.
Acordamos cedo, o céu estava azul e limpo, graças a Deus! Café da manhã leve, casacos mais pesados a postos, roupas e acessórios sem muitos metais. Afinal, após o check in, o raio-x nos aguardava e não queríamos nos constranger com seu apito. Eu não sabia disso, viu? Preparei-me com muitas leituras de blogs e sites que tratam do assunto, além de dicas de amigos e familiares que já são veteranos.
Chegamos ao aeroporto de Viracopos, Campinas-SP, com bastante antecedência para estacionar em local próximo a entrada, pois mala pesada, bebê, bolsa, mochila... Ufa! Muita coisa pra pensar e carregar, mesmo com a ajuda do maridão.
Entramos na fila preferencial do check in da Azul, apresentamos os documentos necessários e nossa bagagem que totalizou 21 Kg. Eba! Não gastamos nem um centavo a mais.
Curtimos o maridão/papai mais um pouquinho, já que ele não embarcaria conosco, sempre observando o painel que nos relembraria a hora de ir. Apresentamos o cartão de embarque na entrada da sala de raio-x e passamos por ele sem nenhum problema. As pernas estavam trêmulas, a hora de visitar as nuvens aproximava-se.
Identificamos o portão de embarque, apresentamos nossos documentos mais uma vez e recebemos ajuda para entrar no ônibus da companhia que nos levou à pista, onde um avião ATR-72 nos aguardava (aeronave de médio porte e propulsão turboélice combinada com asas altas).
Eu tremia tanto! Mas a aeromoça logo nos recepcionou com um sorrisão no rosto e disse ‘sejam bemvindos’. Toda a simpatia dela e do comissário de bordo, me deixaram mais tranquila. Nos ajudaram com a mochila que foi colocada em compartimento próprio, sobre a nossa poltrona e, nesse momento, resolvi contar que essa era a nossa 1ª viagem de avião. Em breve conversa, nos asseguraram de que receberíamos apoio necessário para uma viagem prazerosa.
Sentamos e respirei bem fundo para que o nervosismo me abandonasse. Liguei para o maridão avisando que já estávamos prontos e ele relembrou ‘é uma viagem rápida, aproveite, vocês vão gostar’.  Contei ao pequenino que íamos passear nas nuvens, feito passarinhos e ele disse ‘cocó’, referindo-se a uma galinha. As crianças são mesmo maravilhosas, nada temem, divertem-se com tudo.
Miguel manteve-se tranquilo o tempo todo, e nesse momento, pediu a chupeta. Foi ótimo, porque essa foi uma das recomendações do pediatra: para evitar a pressão e dor nos ouvidos durante decolagem e pouso, é interessante que o bebê faça o movimento de sucção. Chupeta ou amamentação, resolveriam o problema.
Ouvimos a apresentação e orientações do piloto. Assistimos à apresentação do comissário sobre os procedimentos de emergência, caso fossem necessários. Todos prontos, a poltrona do meu lado vazia, portas fechadas, hélices e motor funcionando. Estava na hora!
O avião se movimentou em direção a pista e eu rezei, pedi a Deus uma experiência feliz.
Estava ansiosa pelo momento da decolagem, as sensações, a vista lá de cima... Comentei com meu marido na noite anterior, que meu nervosismo não era por medo de morrer, medo de um acidente, porque muito se fala sobre o transporte aéreo ser mais seguro que o terrestre. Era expectativa para o que eu sentiria: frio na barriga, enjoo, dor? Era a insegurança de não estar com os pés no chão. E se tivesse turbulência, se chovesse? E se o Miguel chorasse? E se eu chorasse? A 1ª vez a gente nunca esquece!
Um misto de emoções e o piloto avisou ‘tripulação, prontos para decolagem’. Velocidade que nos fez grudar no assento, olhos atentos para o lado de fora e... Decolamos! Um frio na barriga, sensação de vazio, coração a mil.
E logo vimos tudo tão pequenino. Brinquei com meus pensamentos, parecia avistar uma grande colcha de retalhos verdes e marrons, tantas plantações, tanta terra preparada. Era só uma hora, precisava aproveitar. O avião se estabilizou no céu, Miguel dormiu. Com o celular liberado em modo avião, registrei a nossa viagem com fotos.
O comissário passou pelos corredores com uma cesta cheia de guloseimas e bebida. Pedi um pacote de bolachinha salgada, um suco, uma água, e, além disso, ele encheu o banco vazio do nosso lado com vários saquinhos de cookies e de gelatinas com formato de avião. Um agrado, uma forma de descontrair e levar para o Miguel comer mais tarde, já que continuava dormindo.
A viagem foi tranquila, meu filho ficou o tempo todo no colo, li a revista da companhia, o avião manteve-se como se tivesse parado no céu. Lá embaixo, quase tudo igual. E então, fomos avisados da preparação para o pouso.
Isso mesmo, foi muito rápido! Uma hora passou bem depressa. Estávamos sobrevoando Uberaba. A tensão voltou em nível médio... O que esperar do pouso?
Acordei o Miguel para que voltasse a sugar a chupeta e contei que o avião ia descer. Senti a inclinação do avião, ouvi um barulho e senti uma batida embaixo dos pés. Pensei que poderiam ser os pneus do avião, prontos para uso. E o piloto avisou ‘tripulação, preparados para pouso’. Em poucos segundos, estávamos no chão e o avião em total desaceleração. Então, novo aviso ‘tenham todos um lindo dia Azul’ – forma delicada de nos lembrar a companhia que nos atendeu tão bem.
Fomos uns dos primeiros  a desembarcar, tratamento preferencial, recebemos ajuda para retirar a mochila do compartimento, descer do avião e retirar um carrinho. Tiramos uma foto do avião, agora do lado de fora... Que orgulho! Que alegria! Fizemos a nossa 1ª viagem e estávamos prontos para aproveitar aquela semana em família.
Como o aeroporto de Uberaba é pequeno, avistamos a esteira com as bagagens rapidamente. Com a nossa tag personalizada, foi muito fácil identificá-la. Com Miguel no colo, coloquei no carrinho. Não soltei o meu bebê por nada, ele é danado, poderia sair correndo, sei lá!
Finalmente, avistamos a saída e toda a nossa família nos esperava, acenando felizes atrás do vidro da sala de desembarque.
Abraços, beijos e mais um suspiro profundo, agradeci a Deus por essa experiência feliz!
Foi assim, Miss Florinda, que tudo aconteceu. Confesso que, nesse momento, estou relembrando desse dia com muita alegria, paz no coração e o desejo de viajar muitas e muitas vezes de avião. Envio fotos dessa aventura incrível, que com planejamento e tempo disponível, em resumo, foi super tranquila.

                                                                     Um beijo pra você,
                                                                                                                                                                                 Angélica e Miguel
                         


                         Tag e apetrechos – Identificação da bagagem

                                           

                                             Tchau Campinas

                                                                       

                                 Céu limpo e a colcha de retalhos
                                                                           


                                    Tão tranquilo que dormiu!
                                                                              

                                           Hélices funcionando...
                                    (P.S. Adorei essa parte, Angélica)



                                           
               Relaxada? Hora de comer e depois ler aquela revistinha ali...



Rio Grande – Divisa São Paulo e Minas Gerais



                                                                                      
                                                                           

                                          Estamos chegando!
                                                                                      


Chegando em Uberaba – Desligar aparelhos que o avião vai pousar!




O avião... Já estamos em terra firme.


É isso minhas lindas Miss, esse espaço me encanta quando outras pessoas contam suas histórias e inundam nossos corações de alegria e emoções...
Conte você também uma experiência bacana, compartilhe, dê dicas...vamos amar!





2 comentários:

Angélica e Daniel disse...

Adorei!!! Agradeço a oportunidade de relatar essa experiência. Espero ter ajudado um pouquinho as mamães em suas viagens com os pequenos, sendo ou não a primeira vez de ambos. Foi inesquecível!
Um dia vou contar essa história para meu Miguel, ver todas as fotos (e são muitas, muitas kkkkkk) e tenho certeza que ele vai adorar saber todos os detalhes. Todos os momentos com ele são especiais!
Um bjo carinhoso pra vc...♥

Angélica e Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...