Ser Miss é ser assim...

" Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das ideias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes... tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem eu não sou.
Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente.
Não sei amar pela metade.
Não sei viver de mentira.
Não sei voar de pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre."

Clarice Lispector

27.4.11

O exercício do perdão


Certa vez, perguntaram a um filósofo se Deus perdoa. Após refletir um tanto, ele respondeu com outro questionamento: Para perdoar é necessário sentir-se ofendido?
De pronto o interlocutor respondeu: Sim. Se não há ofensa, como haveria perdão? Retornou ele novamente para o filósofo.
Esse então, calmamente respondeu: Logo, Deus não perdoa!
Embora a resposta nos pareça estranha, traz em si reflexões de grande monta.
A primeira delas é a de que muito melhor que perdoar, é não se sentir ofendido. E para isso, é necessário que a indulgência esteja em nossa mente, que a benevolência esteja em nossas ações.
Porém, quem já não se sentiu ofendido? Ainda trazemos muitas dificuldades na alma. O orgulho, a vaidade, a pretensão, todos reunidos na alma, nos fazem criaturas com grande dificuldade em não se ofender.
Às vezes, o ofensor nem percebe que nos magoou, quando acontece de não conseguir avaliar as nossas limitações emocionais. Outras tantas, percebe, tenta remediar, mas o mal já está feito... A ofensa já nos atingiu.
Assim, se ainda nos ofendemos, devemos aprender a perdoar. Porque será o perdão que conseguirá tirar a nódoa da ofensa dos tecidos de nossa alma.
Se a ofensa nos pesa no coração, atormenta a alma e perturba a mente, o perdão nos fará leves novamente, tranquilizando a alma e sossegando a mente.
Dessa forma, todo esforço para perdoar deve ser levado em conta, sem economia de nossas capacidades emocionais e racionais.
É claro que o perdão não se instaura imediatamente, e ainda, quanto mais magoados e ofendidos, maior a intensidade das dores. Talvez, mais esforço nos seja demandado.
Assim, comecemos o exercício do perdão assumindo que a raiva, a mágoa, a ofensa existem em nosso coração. Enquanto fingirmos que perdoamos, apenas pelos lábios, sem passar pelo coração, nada acontecerá.
Em seguida, busquemos compreender a atitude do outro, daquele que nos ofendeu. Talvez tenha sido um mau dia para ele. Ou esteja passando por uma fase difícil. Ou ainda, talvez ele mesmo seja uma pessoa com grandes feridas na alma. Por isso, mostra-se tão agressivo.
Após compreender, exercitemos pequenos passos de aproximação. Primeiramente, suportemo-lo, enfrentando os sentimentos ruins que poderão brotar em nossa alma, nesse primeiro instante. Mas, persistamos na convivência, por alguns instantes que seja.
Em seguida, demos espaço para a tolerância, ensaiando os primeiros passos do relacionamento, mesmo que distante e ainda um tanto frio.
Em seguida, estreitemos um pouco mais o relacionamento, através da cordialidade e do coleguismo.
Não tardará para que sejamos capazes de retomar a fraternidade e administrar o ocorrido, em nossa intimidade.
Afinal, o perdão exige o esquecimento. Porém, não esqueceremos o fato, aquilo que nos causou a mágoa, já que isso se mostra quase impossível.
O esquecimento que o perdão provoca é o da mágoa, da ofensa. Quando pudermos olhar nos olhos daquele que nos magoou, com tranquilidade e paz no coração, aí estará implantado em nossa alma, o perdão.

Perfeito!
Perdoar a atitude  de outras pessoas é muito difícil, mas, perdoar nossas próprias atitudes, é ainda mais duro.
A melhor forma de lidar com situações difíceis, é enfrentando-as de coração aberto, sendo honesto e coerente com o que se fala. O esquecimento ocorre, mas na verdade precisamos perdoar nossas inperfeições e saber que nem sempre acertaremos, ou nem todas as pessoas nos aceitarão, exatamente da forma que somos. Precisamos perdoas esses julgamentos e seguir em frente, sem querer ser amado por todos, apenas respeitado. Perdão deixa a vida mais leve, sentimentos ruins e de amargura são como cimento em nosso coração, nos endurece, traz rugas e dor de barriga, dor no estômago, insônia...
Uma vida leve, livre de culpa e sentimentos ruins, nos ajuda a voar, a seguir mais tranquilos, a ter sonhos agradáveis. Pesado? Só o sono, pq temos a confiança de ter agido de forma correta, diante nossos princípios...já, se outras pessoas, possuem princípios diferentes, não nos cabe agir pensando nelas!
Pratique o perdão... penso que ganhamos anos de vida ao perdoar as ofenças que nos fizeram e mais ainda aquelas que, mesmo sem querer, praticamos!
Uma vez li uma frase mais ou menos assim, não adianta se explicar e se justificar, os inimigos não entenderão por mais que você fale, os amigos, não precisam de explicação, são amigos, te entendem!

Ótima quarta-feira

4 comentários:

disse...

Perdoar é mais facil quando se ama. Como temos o grave defeito de nao amar a todos que nos cercam, sempre nos ofendemos com pequenas coisas, nos magoamos e para perdoar acaba demandando muito tempo e trabalho.

Beijoss

Maria Helena Mueller - Lelê disse...

Oi Ju!
Meu coração realmente está mto magoado... Até sei o que tem que ser feito pra perdoar, mas na hr "H"... parece que fico igual aqueles cachorrinhos correndo atrás do rabo...
Tenho tentado de todo jeito afastar esta mágoa, perdoar,com certeza esse teu post me ajudou imensamente.
Mais uma vez: OBRIGADA!
Bjs com carinho.

Eneida disse...

Muito bom.....eu entendo que seja difícil, porém não impossível, perdoar realmente. beijinhos

Carminha Lyra disse...

Olaaa :)
Te achei por acaso e vim avisar que tem sorteio lá no Blog.
Passa por lá...
Desde já boa sorte rsrsrsrs
www.fazergourmet.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...