Ser Miss é ser assim...

" Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das ideias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes... tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem eu não sou.
Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente.
Não sei amar pela metade.
Não sei viver de mentira.
Não sei voar de pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre."

Clarice Lispector

20.9.10

Virtudes e defeitos

Gentem
Mais uma segunda, mais uma semana...
Que ela seja iluminada para todos.
Ontem mandei e-mail para vários amigos recomendando a leitura de uma mensagem "Seja Girassol" postada pela Ká, no blog http://melhor-davida.blogspot.com
Não foi por menos não, concordo com ela plenamente. É de se indignar com essas pessoas que não evoluem, não caminham, permanecem estáticas na vida por medo de mudar, de ser feliz de encarar as situações que aparecem em nossas vidas. Como coloquei no comentário, após a mensagem que citei acima, ser "coitadinho, ser vítima" acaba sendo um método de vida. Não posso deixar de me indignar diante disso. Tantas coisas para se fazer, para crescer, para aprender, para celebrar, e a desculpa é sempre a mesma, falta de tempo...como se as pessoas que fazem, que são felizes, fossem culpadas por conseguir realizar tudo o que desejam. Acho que querem que esse sentimento de culpa nos pegue..tô fora!!
Acho que precisamos olhar o mundo com outros olhos, não sou pessimista, talvez  " Poliana" demais, mas sempre acho que vale a pena... e o que já notei que não vale, deixo de lado, não me prendo mais em troncos podres, que não sustetam nem a si próprios.
Tenho muito a aprender e busco isso, erro aqui, me decepciono ali, por colocar espectativas sobre pessoas e situações que não valiam, mas faz parte dessa caminhada e como já disse, quantas bênçãos são colocadas no caminho.
Para completar a iniciativa da Ká, segue um texto lindo, verdadeiro e que ainda me pega as vezes por olhar apenas a minha sacola...ou demais a dos outros, mas sou capaz de avaliar minhas posturas, reavaliar e mudar...


Abre aspas...
É notável como conseguimos ver, todos os dias, a todos os instantes, os defeitos alheios.
Dificilmente encontraremos alguém que não se mostre propenso a apontar erros e absurdos dos outros.
Muitos casamentos acabam porque marido e mulher passam a ver tanto os defeitos um do outro, que se esquecem que se uniram porque acreditavam se amar.
Amigos de infância, certo dia, se surpreendem a descobrir falhas de caráter um no outro. Desencantados se afastam, perdendo o tesouro precioso da amizade.
Colegas de trabalho culpam o outro por falhas que, em verdade, em muitos casos, é da equipe como um todo.
Foi observando esse quadro que alguém escreveu que os homens caminham pela face da Terra em fila indiana, cada um carregando uma sacola na frente e outra atrás.
Na sacola da frente, estão colocadas as qualidades positivas, as virtudes de cada um. Na sacola de trás são guardados todos os defeitos, as paixões, as más qualidades do Espírito.
Por isso, durante a jornada pela vida, mantemos os olhos fixos nas virtudes que possuímos presas em nosso peito.
Ao mesmo tempo, reparamos de forma impiedosa, nas costas do companheiro que está à frente, todos os defeitos que ele possui.
Assim nos julgamos melhores que ele, sem perceber que a pessoa andando atrás de nós, está pensando a mesma coisa a nosso respeito.
A imagem é significativa e nos remete à reflexão. Talvez seja muito importante que saiamos da fila indiana e passemos a andar ao lado do outro.
E, no relacionamento familiar, profissional, social em geral, que nos coloquemos de frente um para o outro. Aí veremos as virtudes nossas, que devem ser trabalhadas, para crescerem mais e também as virtudes do outro.
Com certeza nos surpreenderemos com as descobertas que faremos.
Haveremos de encontrar colegas de trabalho que supúnhamos orgulhosos, como profissionais conscientes, dispostos a estender as mãos e laborar em equipe.
Irmãos que acreditávamos extremamente egoístas, com capacidade de ceder o que possuam, a bem dos demais membros da família.
Pais e mães que eram tidos como distantes, em verdade estarem ávidos por um diálogo aberto e amigo.
Esposos e esposas que cultivavam amarguras, encontrarem um novo motivo para estarem juntos, redescobrindo os encantos dos dias primeiros do namoro.



* * *
A crítica só é válida quando serve para demonstrar erros graves que possam causar prejuízo para os outros ou quando sirva para auxiliar aquele a quem criticamos.
Portanto, resistir ao impulso de ressaltar as falhas dos outros, exercitando-nos em perceber o que eles tenham de positivo, é a meta que devemos alcançar.
Não esqueçamos de que se desejamos que o bem cresça e apareça, devemos divulgá-lo sempre.
Falar bem é fazer o bem. Apontar o belo é auxiliar outros a verem a beleza.
Fecha aspas.
Texto Sem olhar para trás, de Gilberto Nucci.

Boa semana para todos!

2 comentários:

Karina Bottura disse...

é isso aí Jú! Obrigada por compartilhar conosco esse texto! Beijo e ótima semana de reflexão...

Anônimo disse...

Falar mais o quê, Ju? O texto diz, exatamente, tudo, tudinho... Adorei!
Bjos
Raquel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...