Ser Miss é ser assim...

" Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das ideias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes... tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem eu não sou.
Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente.
Não sei amar pela metade.
Não sei viver de mentira.
Não sei voar de pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre."

Clarice Lispector

27.12.13

Férias...

Tô até com vergonha das minhas abandonadas amigas Misss...
Cara de pau, nunca mais apareci, nunca mais compartilhei e ainda quando apareço é para dizer que vou entrar em férias....
Bem, 2013 foi puxado, confesso que a inspiração diminuiu e o tempo dedicado ao Miss foi tão, tão distante...
Mas vamos lá, promessas de ano novo, emagrecer, juntar dinheiro e mais postagens!
Vou fazer uns passeios em família, morder minha pequena que cresce rápido, cuidar do marido que tá carente e respirar novos ares!
Bom final de ano, curtam demais e vcs sabem...eu volto!


25.12.13

Eis o que encontrei embaixo da minha árvore!





Ao abrir a porta de casa, após a meia noite de ontem, deparei-me com uma linda cena!
E não é que, logo ali, embaixo da árvore, encontrei tudo aquilo que mais precisava. Talvez não tenha visto antes, na correria do dia, entre um preparar de pratos, um corre atrás de embrulhar um presente ou ainda entre uma prova de roupa e um secar de cabelo, coisas que dei atenção durante todo o dia, mas são tão pequenas e acabaram  me tomando a atenção e desviei meu olhar da árvore.
Porém, assim que entrei toda minha atenção e emoção foram voltados para aquela árvore, cheia de bolas, na parte da frente, dos lados e atrás. Algumas maiores, brilhantes, outras menores, porém com o mesmo jeito luxuoso. No topo dela, aquele lindo anjo, que nos acompanha abençoando faz muito tempo. Toda iluminada com luzes verdes que piscavam ao som das batidas do coração, muitas vezes luzes frenéticas, outras com toque calmo, como são nossos dias diante das emoções.
Foi então, que ao observar suas raízes, vi Papai Noel... vi uma menina correndo ao encontro de pequenos pacotes de presente dizendo “Nossa, cadê Papai Noel” e entre um sorriso lago e palavras ditas com pressa, abrimos os presentes que ali estavam... uma roupinha “bem fesquinha” alguns animais que comprei em loja de preço acessível e uma pequena boneca que, já nessa linda noite foi embalada pelos braços mais deliciosos que conheço ao som de “nana nenê”.
Quanta emoção perceber que o sonho, a fantasia e a alegria são os fermentos de uma vida feliz. Viver um Natal, um primeiro Natal compreendendo Papai Noel, não tem preço. É cedo ainda para compreender esse espírito natalino, mas antes de ir para o berço, fomos até nossa “Sagrada Família” e, sem nada precisar explicar, aparece um tímido “ Ó Jesus lá”, tenho a certeza que com essas palavras e com o beijinho doce que veio em seguida, a semente do Natal foi plantada...
Preciso dizer que havia muitos presentes ali embaixo, que os abri durante as horas de insônia que tive. Abri um pacote bem florido cheio de carinho familiar. Esse presente Papai Noel me mandou há 33 anos e até hoje sei que é um dos melhores, presente tipo calça jeans, a gente usa em qq hora e lugar. Dentro dele veio ainda um saquinho dourado que quase nem havia notado, mas estava ali e logo me atraiu pelo seu brilho... um pozinho leve, branco que cintilava no ar... era a cura que tanto buscamos. Não tive dúvida, coloquei tudo na palma da minha mão, abri a janela da varanda e assoprei com toda força que tenho dentro de mim, corre lá na sua janela que tenho certeza que um pouquinho dele vai chegar aí!
Um pacote vermelho, com laço de veludo estava com cheiro de rosas e não me contive, tive que abrir rapidamente. Quanta emoção ao ver o amor verdadeiro, sincero e eterno, ali todinho só pra mim. Papai Noel me presenteou com esse dom de poucos, um amor que dá  ombro, abre mão de suas necessidades, finge não ver meus defeitos e me ajuda a seguir em frente. É um presente sem preço, sem tamanho, sem explicação se sentir amada, respeitada e importante para alguém!
Tinha ainda uma sacolinha, muito simples, cheia de lembranças. Olhei uma delas, uma árvore bem singela, com poucas bolas sem brilho, apenas espelhadas por sua frente. Ao redor, uma família cheia de medos, angústias mas que mesmo assim insistia em brilhar ao lado de Jesus. Essa família seguiu os passos do Natal.
Tinha muitas flores de todos os tipos que faziam questão de perfumar e colorir o ambiente, algumas em pares, outras com pequenos brotos desabrochando, trazendo ainda mais vida para esse jardim... amigos queridos que ficam por perto, as vezes não, que acertam muitas vezes em cheio, as vezes não, que são perfeitos #sqn... enfim são amigos, me encantam, me aquecem a alma e não posso deixar de agradecer por tê-los, cada um com seu coração cheio do melhor de si, cheio do que quer que seja!
Encontrei ali, no fundo uma cestinha com colo de vó, de vô, de tia e de dindos. Presente mais que especial, aconchegante, gostinho de pipoca doce e que me deu uma vontade louca de mordes...eita gostosura.
Embaixo dessa minha linda árvore encontrei a generosidade, o reconhecimento, a luta, a força, a reconciliação, o perdão, o tentar de novo, de novo e de novo, na certeza de que Ele nasceu para nos dar um mundo melhor, cheio de luz, de paz e de amor...
A cada ano essa árvore tem raízes mais fortes e são elas que importam, mesmo sendo o resto que acaba se destacando. Aqui, no meu coração, a gratidão por bênçãos e pela visita insistente e fiel de Papai Noel são frutos das preces e “obrigadas”” de cada dia, de cada ato de amor que procuro semear.
Que no dia de hoje Jesus chegue naqueles lugares que ainda não pôde, não conseguiu ou não foi convidado, que Ele ilumine o coração dos homens e conserve os sonhos de cada criança...

Feliz Natal

18.12.13

I love it - Clima de Natal

























17.12.13

Bora pra faxina!

Tomar a decisão em faxinar é a parte mais difícil. Mas, depois que vc coloca aquela roupa surrada, um som de arromba e bota tudo pra fora...não quer parar mais!
Fim de ano é tempo de faxinar tudo que a gente vai guardando embaixo do tapete, deixa dobradinho no fundo da gaveta etc...
Compartilho um texto sobre uma dessas rotinas de faxina!
Prometa que, para os novos tempos que estão por vir, vc vai apenas usar o que te faz feliz!



Estava precisando fazer uma faxina em mim… Jogar alguns pensamentos indesejados para fora, lavar alguns tesouros que andavam meio enferrujados…
Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.
Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões…
Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei; Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li. Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas… E as coloquei num cantinho, bem arrumadas.
Fiquei sem paciência!… Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão: Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste… Mas lá também havia outras coisas… e belas!
Um passarinho cantando na minha janela… aquela lua cor-de-prata, o pôr do sol!… Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças. Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.
Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou. Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!
Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas, se as esqueço lá mesmo ou se mando para o lixão.
Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante: o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos…
Como foi bom relembrar tudo aquilo!
Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as à mostra, para não perdê-las de vista.
Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurada bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar… e de recomeçar…


14.12.13

Ainda acredito...



Não dá para ser diferente.
O dia amanhece, vc vai levemente se sentindo, abre os olhos e, sem mesmo perceber, já está criando expectativas.
Vc deseja que as coisas aconteçam, que as pessoas percebam, que os caminhos mudem, que vc tome outras atitudes, que saiba escolher as palavras, que acerte nas decisões...
Como frear esse vício?
Acredito em milagres e só acho que a vida vale a pena qdo se busca realizar sonhos, se vive feliz ao lado de quem se ama.
Todo dia tento mudar certas coisas enraizadas em minha essência e não consigo. Talvez seja mesmo impossível, talvez esses pequenos pedacinhos de mil que deixo voar pelos ares sejam necessários para que o mundo siga seu curso. Acredito que essas raízes sejam fortes demais e se continuar tentando tirá-las, todo o resto desmorone.
Procuro manter-me calma, aguardar algumas situações, mas, minha essência acaba me levando para caminhos que preciso esquecer. Ainda me culpo por situações que não deveria, ainda sofro por pessoas que não merecem, ainda tento cativar e reviver momentos que talvez não me pertençam.
A tristeza chega, mesmo nessa época tão linda e iluminada. Ou ainda, talvez por ser essa a época mais linda e iluminada, onde desejo que tudo de melhor ocorra e nossa sensibilidade fique ainda mais visível é que a tristeza ache um lugarzinho para aparecer....
E, como não dá para ser diferente, as ideias e pensamentos me consomem, comprimem meu peito, enchem de lágrima meus olhos e acabam afastando meu coração de onde ele realmente deve estar.
O tempo do advento é um período de reflexão, de nos prepararmos para a cegada da vida mais importante que existiu e existe, talvez minha fé seja mesmo mais forte do que imagino e, com ela, vivo esse momento de introspecção, reflexão, retomada e mudança.
Mesmo sabendo que não dá para ser diferente, hoje coloco minhas angústias no papel e deixo essa tristezinha nostálgica tomar conta de alguns segundos do meu dia, não mais que isso. Preciso compreender que meus amores merecem o melhor, que minha sinceridade deve ser sempre fator de orgulho e de que me doando um dia, receberei algumas coisinhas bobas, eu si, mas que tanto almejo.
Queria hoje um lindo dia, queria um abraço forte, talvez algumas flores, um cartão bem simples, mas escrito com verdade...queria mais espaço ocupado dentro de mim e menos esse vazio que insisto em alimentar... queria ser vista, ser ouvida, ser bajulada, sem pedir ou implorar...
Pro dia de hoje tenho muitos “querer” e sei que tenho muitas bênçãos, mas, não sei por que, hoje não está sendo diferente... acabo ficando assim, meio perdida rodeada de tantas bênçãos e tantos amores.




4.12.13

Sobre dizer sim e não




E a gente precisa de adaptar!
As pessoas passam por nossas vidas, e como descrito em muitos textos, sempre deixam marcas e tb levam.
Posso dizer que aprendemos a conviver com as pessoas em sua totalidade. Admiramos muitas de suas a habilidades, assim como aprendemos a nos melhoras convivendo com as diferenças na forma de agir, reagir, pensar, falar...
Entre muitas coisas que aprendi nos livros, uma delas é a que mais vivencio e acredito “ Somos frutos de muitas vozes”.
Construí-me baseada no profissionalismo de grandes pessoas com quem convivi e convivo. Aprendi a falar melhor, a ouvir tb, nem tanto ainda como deveria... aprendi a estudar direito, a buscar novos caminhos, a reconhecer e lidar com minhas falhas e perceber que a vida é construída assim, dia após dia, palavra após palavra.
Sinto que grandes e maravilhosos ciclos vão chegando ao fim. Algumas despedidas fazem o coração doer, pergunto-me como será o amanhã? Questiono se tudo vai dar certo, peço proteção, luz e força, para todos que participam de diários inícios, fins e recomeços.
Muitas vezes nesse turbilhão somos tomados por oportunidades inimagináveis, contudo, cabeças pensam, refletem e, dentro de uma impossível possibilidade, pode sim nascer um novo sonho, um novo desafio, outras formas de aprender e crescer... Noto que muitas marcas que vamos deixando, talvez pequenas e invisíveis, são notadas, o que me dá um imenso olhar de esperança e justiça na humanidade.
Difícil tomar a melhor decisão...muitas vezes como já disse, penso demais, contudo, percebo que nos momentos decisivos sou bem coerente entre a razão e a emoção e fico feliz em perceber que sei o que desejo, sei meus planos e onde encontro minha felicidade... o amor realmente me move, mesmo que muitas vezes eu duvide disso.
Para muitos as mudanças são tristes, geram desconforto, para outros trazem felicidade, certo ego inflado, para mim... um misto. Fico satisfeita com cada possibilidade que surge, penso nos nãos ditos e nas dicas também... confesso que o desafio me atrai, mas há um amor mais forte no momento que deixa toda aquela impulsividade que me remexe mais retraída.
Percebo ainda mais, dentro  de tantos tempos num só tempo que vivemos, a presença de um Deus que olha por nossos desejos, que nos dá sinais, caminhos e que nos coloca em teste sobre nossa própria capacidade de viver... bem profundo, bem real...
O sentimento é de alívio, de satisfação e muito desejo, que tudo dê certo, seja do jeito que for, seja da forma que tiver que ser... vamos adiante, vamos batalhar, relaxar, sorrir, viver bem com tudo que aparecer em nosso caminho.

Um não aqui, uma dúvida ali, quem tem certeza sobre alguma coisa nessa vida? Hoje minha maior certeza é que estou no lugar certo, que sou feliz e que minhas sementes dão lindas flores...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...